Momento II
OUT
8 9 15 16 20 21 22 27 28 29 30
NOV
4 5 6
Miopia
Rita Delgado

  • 4-5 novembro, 21h
  • 6 novembro, 16h
  • CAL / Primeiros Sintomas

Miopia
Rita Delgado

  • 4-5 novembro, 21h
  • 6 novembro, 16h
  • CAL / Primeiros Sintomas
  • 90 min
  • M/14

Criação e texto: Rita Delgado
Interpretação: Diana Narciso, Diogo Rodrigues, Rita Delgado e Stephany Malpica
Apoio à criação: Diana Narciso e Lara Mesquita
Sonoplastia e música ao vivo: Diogo Rodrigues
Cenografia: Carla Martinez
Desenho de luz: Diana dos Santos
Produção: Sofia Estriga
Apoios: DGArtes - Governo de Portugal, Fundação GDA, Festival Temps D’images, Companhia Casa Cheia
Residências de co-produção: O Espaço do Tempo; DeVIR/CAPa

Neste espectáculo, assistimos à gravação do 500º episódio de «MiaPia», um popular programa televisivo.
Entre momentos de culinária, convidados inusitados e rúbricas de tarot, acompanhamos Mia e a sua dificuldade em relacionar-se com alguns dos mais prementes problemas mundiais: questões ambientais, desigualdade social, desigualdade de género, racismo estrutural, guerras e (blá, blá, blá) - Não é isto que por vezes tendemos a “ver” nesta enumeração? Um "blá-blá'' vago e fosco?
Porquê?
Ao 500º programa, Mia vai desafiar o reflexo míope de desfocar o olhar e, apesar das dores nos olhos e no peito, explora corajosamente o alcance e os limites da sua visão.
Sejam bem-vindos ao MiaPia, o vosso programa da noite!

Biografias

Rita Delgado é licenciada pela ESTC – Ramo Actores (2014/2017). Em 2014 co-criou o espectáculo REUNIÃO DA SALA 3, em cena no Teatro Rápido (Lisboa). Na temporada de 2017/2018 integrou, na qualidade de actriz estagiária, o elenco do TNDM II, tendo a oportunidade de colaborar em várias produções das quais destaca “Casimiro e Carolina”, de Odon Von Hórvath, encenação de Tónan Quito. Em 2019, trabalhou com Lígia Soares na leitura encenada de “A Mancha”, de Lúcia Pires e “O Elefante ou o inevitável caminho do esquecimento”, de Henrique Bispo, ambos em cena no TNDM II. Fundou, em 2019, a associação cultural Delicate Dinosaur, que dirige desde então. Em Outubro de 2020, estreou o espectáculo FIM, uma co-criação sua em conjunto com João Estima, no CAL - Primeiros Sintomas, inserida na programação do Festival Temps D'Images. Em 2022 estreou o espectáculo AS ESTRELAS QUE HOJE VEMOS JÁ MORRERAM HÁ 100 ANOS, uma co-criação sua com Diana Narciso, em cena na Escola do Largo (Lisboa), Teatro Sá da Bandeira (Santarém) e Cine Teatro de Almeirim. Em Junho de 2022, co-criou UMA HORA, um espectáculo site-specific de curta duração, inserido no URGE Glookal Fest (Póvoa de Varzim). Participou como actriz em todas as criações. Actualmente trabalha na sua primeira criação a solo, o espectáculo MIOPIA, que estreará em Lisboa, em Novembro de 2022, inserido na programação do Festival Temps D’Images, e que conta com apresentações no Cine-Teatro Louletano (Loulé) e no Teatro Sá da Bandeira (Santarém).

e depois?
VER PROGRAMAÇÃO
5 MAI - 19 JUN 2022
Momento I