ƎSPÉCIE
Valéria Braga, Rodrigo Cunha, Kleber Dâmaso

  • 20-21 outubro 21h30
  • HANGAR Campolide

ƎSPÉCIE
Valéria Braga, Rodrigo Cunha, Kleber Dâmaso

  • 20-21 outubro 21h30
  • HANGAR Campolide
  • 55 min
  • M/12

direcção: valéria braga
performance: rodrigo cunha
pesquisa de movimento: kleber dâmaso
produção executiva: guilherme wohlgemuth
assessoria de comunicação: larissa mundim
design gráfico: nicolás gualtieri
apoio: casa 107 vivace

ƎSPÉCIE não remete ao identificável, mas ao que nos pertence e que desconhecemos. Ao instante improvável em que o visível toca, atravessa e se confunde com o invisível. Sua dramaturgia se estrutura por subtrações, a experiência estética se instala como um desafio. Seu primeiro movimento é o da escuridão que invade os espaços do olhar de quem observa. Um convite ao mergulho e à imersão num território dos possíveis. Em busca de outros modos de ver, de vivenciar ausências como campos do saber que ainda estão por se reconhecer, e por meio delas tentar praticar algum silêncio como fala colectiva. De maneira improvável, acender o clarão que estala desse encontro íntimo e presencial com um corpo em estado contínuo de transformação e metamorfose, em sucessivos actos de abandono, de construção e desmoronamento, de aparição e desaparição. Encontro com um corpo aberto que escapa às acomodações identitárias e às significações, mas cria um universo onde imagens são encarnadas e presentificadas. A exemplo do animal, da mulher e do ancião, que entre outras se embaralham como um carrossel, numa trajetória difusa, num fluxo que transpassa os olhares na duração precisa do acto de investigação do corpo performer, pelo próprio corpo do performer. Que ao transitar por estados sensório-perceptivos explicita a capacidade única e singular de transubstanciação de suas materialidades, de exteriorizar em acções os líquidos de dentro - a saliva, o suor, as lágrimas. o vazio da sala faz o barulho de engolir a saliva parecer um sapo. Um momento de estarrecimento: quem observa quem? O trabalho se propõe a se abster de qualquer artifício, inclusive habituais recursos técnicos do teatro, para que cada movimento, ou ato cénico, concentre a atenção nas dinâmicas e particularidades do corpo e suas relações com o espaço. ƎSPÉCIE é uma aventura da vida fincada na sua superfície, das forças do existir na sua condição múltipla, misteriosa, estranha de estar em frente, íntima e abertamente ao que é vivo e pulsional.

Conversa informal após o primeiro espectáculo.

Biografias

Valéria Braga - Artista e investigadora multidisciplinar. Directora de teatro e atriz com experiência em cinema e acções performáticas. Há mais de quinze anos dedica-se à manutenção de espaços autónomos para formação e produção artística. Mestre em Performances Culturais e especialista em História Cultural pela UFG. Formada em Psicologia pela PUC-GO. A convite da UEG, foi responsável pela concepção e coordenação do projecto de extensão - Memória Roubada, quando busca, de forma transdisciplinar, na arte escultórica de Ana Maria Pacheco e direcção de Hugo Rodas, fomentar uma experiência de fricção entre as artes. Foi Destaque Cultural do Estado de Goiás em 2018.

Rodrigo Cunha - Actor, bailarino, professor, director e argumentista. Formado em Artes Cénicas pela UFG. Ao falar sobre a sua trajectória, costuma frisar que não se recorda com precisão o início da sua paixão pelo teatro, mas reitera a certeza de que nunca irá parar de se dedicar à arte de representar. Parceiro assíduo de investigação e criação de Valéria Braga desde a implementação da Vivace, na manutenção da Casa 107 e estrutura do Grupo Cabeça de Vaca, inclusive em montagens como Bodas, Azul Esgotado, Dúplice e Hábitos Noturnos. Entre os diversos artistas com quem tem colaborado e contracenado destacam-se Érica Bearlz, Rodrigo Cruz, Fernanda Pimenta e Elena Diego, os cineastas Daniel Calill, Fabrício Cordeiro e Isaac Brum, e os realizadores Júlio Van, Samuel Baldani e Hugo Rodas.

Kleber Dâmaso - Artista, investigador e jardineiro, com experiência em gestão e produção. Aluno do programa de doutoramento em Artes Cénicas da UNB. Professor da Escola de Música e Artes Cénicas da UFG, onde coordena o programa de residências transestéticas - Conexão Samambaia e a mostra expandida de artes – Manga de Vento, frutos do seu compromisso com a dinamização dos circuitos de difusão do campo ampliado das artes no seu contexto.

e depois?
VER PROGRAMAÇÃO
5 MAI - 19 JUN 2022
Momento I