TEMPS D'IMAGES 2005
6 > 16 OUT
   
         
   
         
   
         
   
         
   
         
     
 
 
william kentridge
JOURNEY TO THE MOON, 7 FRAGMENTS FOR GEORGES MÉLIÈS E DAY FOR NIGHT
   
 
 
 

A obra de William Kentridge, uma das mais significativas da actualidade, oferece uma visão distintiva da história complexa da África do Sul e do legado do apartheid e é considerada, mais amplamente, uma viagem sobre a natureza das emoções humanas e da memória.

São apresentados no Museu do Chiado – MNAC as instalações Journey to the Moon, 7 Fragments for Georges Méliès e Day for Night, todas de 2003.

Em 7 Fragments for Georges Méliès a fonte de inspiração de Kentridge foi o trabalho de Méliès, parisiense nascido em 1861 e filho de um rico industrial do calçado.Depois de realizar estudos artísticos Georges Méliès comprou o teatro de Robert Houdin usando-o para exibir filmes, antes de começar, ele próprio, a produzir e realizar obras da sua autoria.
Quanto a Journey to the Moon diz William Kentridge: “Um foguetão em forma de bala despenha-se na superfície de lua, um charuto espetado numa cara redonda. Quando vi o filme de Méliès pela primeira vez no início deste projecto, percebi que conhecia esta imagem muito antes de ter ouvido falar em Georges Méliès. O projecto 7 Fragments ia já bastante adiantado. Até então tinha resistido a pressões narrativas, interrogando-me sobre as premissas desta série de trabalhos, o que normalmente acontece quando o artista começa às voltas no estúdio. A conclusão foi a necessidade de fazer pelo menos um filme que se rendesse a um empurrão narrativo.”
Day for Night tem origem no exercício feito pelo artista de filmar formigas no estúdio enquanto se dedicava a Méliès: “ Estava a trabalhar em Journey to the Moon, a penúltima e a mais complicada das peças de Méliès, quando fui abalroado pela ideia de inverter o filme usando as formigas para algumas sequências nocturnas de Journey.”
William Kentridge tornou-se famoso no mundo inteiro através de curta-metragens de animação realizadas a partir de desenhos a carvão. No entanto, o seu envolvimento com o mundo das artes começou pelo teatro, primeiro como designer e actor, mais recentemente como director. Kentridge tem trabalhado, desde 1992, com a Handspring Puppet Company, numa série de shows multimédia envolvendo actores, marionetas, projecções vídeo, animação, palavras e música. Muito embora, ao longo da sua carreira, Kentridge tenha tocado as áreas do cinema e do teatro, a pintura continua a ser a força motriz da sua arte. Aliás, o artista considera que os seus trabalhos, sejam de animação, sejam de teatro, são apenas extensões da sua pintura.
Nascido em Joanesburgo em 1955, vive e trabalha na África do Sul.

 

Journey to the Moon / Viagem à Lua, 2003
Filme 16 mm, filme 35 mm e mini-DV transferidos para DVD, som, 7'10''
Música: Philip Miller; Montagem: Catherine Meyburg
Cortesia Marian Goodman Gallery, Nova Iorque / Paris

7 Fragments for Georges Méliès / 7Fragmentos para Georges Méliès, 2003
Filme 16 mm, filme 35 mm e mini-DV transferidos para DVD, som, 16'10''
Montagem: Catherine Meyburg
Cortesia Marian Goodman Gallery, Nova Iorque / Paris

Day for Night / O Dia pela Noite, 2003
Filme 16 mm e mini-DV transferidos para DVD, som, 7'
Montagem: Catherine Meyburg
Cortesia Marian Goodman Gallery, Nova Iorque / Paris